Background

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

mais uma de amOr.

Eles se conheceram e ela se apaixonou. Ele dizia que a amava -- palavras não constroem castelos. O tempo passou e ela amando, seguiu. Suportando nos ombros cada palavra que ela esperava e ele não dizia, cada beijo que eles desperdiçavam e cada olhar que ela doava cheio de ternura e ele simplesmente forjava uma admiração. O tempo passou e ela não aguentava mais suportar tanta coisa, ter um relacionamento onde era as duas partes, sempre esperando uma mudança, acreditando que cedo (ou até tarde demais) ele iria se doar, entendê-la e apenas entregar seu coração de verdade, ser verdadeiro como ela era.

Tudo mudou, ela não aceitou mais levar um fardo que era pra ser divido, pra ser mais exata, um fardo que nem era pra existir, deixou ele pra trás. O amor não pesa. A paixão desvia os olhos do foco, do amor próprio. O verdadeiro amor é fazer o outro feliz, mas isso é perfeito quando as duas partes pensam assim, se não for assim o amor se faz pesado demais.

A idéia de recomeçar é linda, parece complexa demais mas é fascinante quando ela se lembra que alguém vai querer que ela seja a sua felicidade. Uma felicidade que sorri, dorme, tropeça e gosta de chocolate. Ela vai tentar de novo e perceber que nada foi em vão, que até os mais cafajestes servem pra alguma coisa -- nos fazer crescer. Vai encontrar seu amor de verdade, vai descobrir que não é só dor, não. O destino também pode lhe pregar uma peça -- trazê-lo de volta, arrependido e melhor. Trazê-lo sob medida, num encaixe perfeito, sem medo e sem pesar. Enquanto isso ela vive pra si, não procura seu amor no ponto de ônibus, nos corredores dos shoppings, na fila do cinema, num barzinho num fim de semana qualquer. Ela procura se encontrar, refazer o que deixou que se perdesse nele, recuperar e se fazer melhor até aparecer aquele que seus lábios, seu corpo, seu coração e suas mãos sempre procuraram. Ela segue até seus pés encontrarem novamente o ritmo de uma vida sem um amor, mas com amigos, os melhores que a vida trata de nos trazer.
Que tudo permaneça nesse misto de emoções e de incentivo, que essa dor não a sufoque. Que você recomece.
'Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito -- peito de remador.'

13 comentários:

Eric Luis Carvalho disse...

Que assim seja Lay. Brilhante!

Sheyla disse...

Eu é quem digo: vou anotar em todos os lugares possíveis.
"o amor não pesa".
Menina, você é brilhante!
Tão simples e tão profundo!
Bjs e obrigada por suas palavras.

Naraiana Costa disse...

Ja passei por isso meu bem. E essa sensação de que corre sozinha contra a correnteza é terrível. Uma andorinha só não faz verão.. me identifiquei muito. Lembranças de amores antigos. Mas que não apagam boas lembrançãs de jeito nenhum. Um dia posto o texto que escrevi, que parece com o seu.

Michele disse...

Difícil acreditar que dá pra recomeçar e ser feliz na mesma medida, não? Mais difícil ainda crer que os cafas tornam-se, anos depois, o capítulo 3 daquela grande lição!
Mas SIM< acontece! E tão bom poder olhar de cima pra isso tudo! :)


Beijo grande querida!

Flor disse...

oii Lays...
vc tem parecido decepcionada com o amor nos seus posts...
espero que seja só uma impressao...
muito amor pra vc!

gostei da frase: 'Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito -- peito de remador.'

beijo

Te dou um conto... disse...

o amor devia ser só sorriso e poesia,mas a poesia é tão escassa que a gente acaba nem sorrindo e carrega esse peso...
muito bom,lay!
quando é q a gente se vê de novo?
beijo

Polêmica disse...

Eu defino o texto de hoje como SÁBIO
você disse tudo, o amor não é pesado e não tira nosso amor próprio, a paixão é quem faz isso nos desviando desse foco. E eu achei interessante aquela parte que você disse mais ou menos assim: quem sabe um dia ele até volta diferente, mudado. É verdade isso, nossa maneira de agir hoje vai nos ajudar a agir melhor amanhã. Até um cafajeste pode mudar (rs)! Eu adoro todos os teus textos mas, hoje eu te aplaudo de pé (rs)...parabéns!

Beijinhos!

Nathália disse...

Seria bom se todos vissem o amor dessa forma.

:*

Lily disse...

É... recomeços fazem muito bem!
Eles só não podem ser confundidos com desistências!
Acho que a gente até pode desistir das coisas, mas como nesse caso q vc narrou! Depois q realmente já deu! Que vimos que é inútil tentar tirar leite de pedra mesmo!

Aí o lance é tirar o time do campo e realmente encarar a beleza de recomeçar!

Bjkss

Naraiana Costa disse...

Lay, meu mais novo outro blog

http://escarlateandoavida.blogspot.com/

=]

BetA disse...

vc continua mto fofa...

vir aqui tb me faz mto bem viu?
seu jeito romântico encanta!

***

Gabriella disse...

'Ela procura se encontrar, refazer o que deixou que se perdesse nele, recuperar'

Recomeçar pra mim tá sendo tãão difícill!

Você é DEMAIS Laaaaay! LINDO LINDO

manuknha disse...

Lay, foi um dos melhores textos q eu já li...Mto fofo!vc escreve super bem!