Background

terça-feira, 15 de julho de 2008

metades.*


Então me diga onde você vai sem mim.
Por onde seus passos serão certos, senão no meu caminho?
Onde seus pés encontrarão descanso, senão junto aos meus?
E seus sonhos, longe de mim, são meros pensamentos.
O fato é que nós somos, inevitavelmente, parte um do outro
E eu não sou nem metade de mim sem você.


E eu, que também muitas vezes não tenho o que dizer

Opto por apenas, me perder

Nos nossos encontros mais sutis me entregar

E te ver se pondo em mim, como o sol se põe pro mar.


8 comentários:

Myn disse...

Lindo...

Maldito disse...

"E eu não sou nem metade de mim sem você."
Dependencias são perigosas,...pode ser de pessoas, drogas ou coca-colas!

Parabesn pela escrita!

Bjs

Maldito disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Te admiro cada dia mais.
A reencarnação de Clarice Lispector.

Vermelha e Ardida disse...

Belas paravras!
E obrigada pela visita.
Bjins

Gabriella disse...

"Nos nossos encontros mais sutis me entregar
E te ver se pondo em mim, como o sol se põe pro mar."

Laaay você escreve bem deeemais!

Colombina disse...

Aaaai que graciiinha!!!
Isso foi tão....romântico!

hauhauahuaua

Olá Benhê...obrigada pela visita!
Sinto não poder oferecer-lhe textos de qualidade, que valham o seu prestígio, por estes tempos.
Mas prometo me esforçar...

:D

Grande Abraço.

Eric Luis Carvalho disse...

Ela tem a melhor caneta assanhada que eu conheço...sou fã de carteirinha...lindo de morrer muzenzinha..."E te ver se pondo em mim, como o sol se põe pro mar." oh deus....o nome disso é dom!