Background

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Teorias da madrugada

Eu não quero dizer com isso que já não te quero, seria mentira.
Eu quero apenas dizer que você, sem saber, tem sido bem cruel. E nessa confusão, nessa louca tempestade eu chego a pensar ( me entregando as deliciosas teorias da madrugada!) que tudo isso é um grande medo de ficar sozinha e de me enfrentar. Confesso, essa é a primeira vez que eu me escuto, que eu escrevo com um tanto de temor, afinal, escrever é contar pra você mesmo coisas que você deixa que passem despercebidas, desabafos contidos, uma caneta assanhada, uma gostosa sensação de liberdade e no fundo aquele medo do que essa caneta louca deixou escapar, do que esse coração impiedoso confessou.

[ a madrugada tem se feito parceira da inspiração, impressionante como toda fadiga vai embora na hora de escrever ]

6 comentários:

Raul disse...

I love it.


love ya.
*;

mariana disse...

Você escreve tão³ bem *--*
Eu tenho tanto orgulho de vc, haha :B

Te amo <3

Sarah disse...

Ow madrugada... Maldita madrugada... Onde nossos desejos, mais secretos, ficam à flor da pele, nossos pensamentos mais insanos não nos deixam dormir e aquele velho e maldito amor não nos sai do pensamento. Oww madrugada... Maldita madrugada...

Raul disse...

sarah
de madrugada eu vou te ligar.

uhuhuaha

*;

Eric Luis Carvalho disse...

"escrever é contar pra você mesmo coisas que você deixa que passem despercebidas, desabafos contidos, uma caneta assanhada, uma gostosa sensação de liberdade"

Perfeito Lay...é bem isso mesmo,adorei mesmo...tu sabe do que penso sobre o talento da menina de Feira né? Pois então que as "doces confissões" sejam constantes, pq o fã estará sempre e espera do próximo texto.

Carla disse...

Lay,
vc està no caminho certo das letras, das palavras, coisa que nao è fàcil hj em dia com tantas banalidades soltas por aì. Vc tem a estrada, os passos è vc quem conduz...segue teu caminho, regue suas rosas, cuide do seu jardim.bs