Background

domingo, 12 de julho de 2009

Paixão

É, exatamente assim - andar descalço na beira do mar, aquela areia úmida, a água vem, assusta e vai embora.


É como se a vida não fizesse questão de nos incentivar a viver, a fazer de um novo jeito, ninguém mais se importa- aceite isso, não seja tolo. Não se afogue nas pequenas e repetidas doses de café forte e sem açúcar, não fume mais de três cigarros, não faça compras compulsivamente e não se esconda dessas verdades.





Chega um tempo em que as coisas se tornam estáticas- e já não se sabe se há muito pararam de se mover, ou nunca se moveram - as pessoas se assustaram, tremeram e sentiram medo que nunca mais houvesse movimento. O movimento quem faz é você. A maré também fica calma, os olhos se cansam de olhar sempre na mesma direção e quem foi que disse que o coração também não cansa?


Mas o remédio para o coração cansado é a paixão, não precisa se voraz, nem calma demais, nem quente demais, pode ser platônica, pode ser por doce, pintura, esporte, livros, músicas velhas e até (as mulheres bem sabem) a paixão por coisa nenhuma, apenas a sensação de estar apaixonada, mas não se sabe pelo que, essa é a melhor, apresenta menores índices de sofrimento depois de acordar.





E pra que acordar? Pra sofrer? Descobrir que toda realidade, tudo que se fez, viveu, cantou, comeu, gritou foi apenas um vento?


Não há quem nos proíba de sonhar a vida inteira, as vezes abre-se o olho bem discretamente, só um poquinho, observa-se um pouco de realidade e volta a sonhar, a realidade é pra ser observada de leve para quem quer mesmo ser livre e alimentar as possibilidades de sonho.





"Eu preciso muito muito de você eu quero muito muito você aqui de vez em quando nem que seja muito de vez em quando você nem precisa trazer maçãs nem perguntar se estou melhor você não precisa trazer nada só você mesmo você nem precisa dizer alguma coisa no telefone basta ligar e eu fico ouvindo o seu silêncio juro como não peço mais que o seu silêncio do outro lado da linha ou do outro lado da porta ou do outro lado do muro.Mas eu preciso muito muito de você."


Caio Fernando de Abreu

3 comentários:

Bruna Trindade disse...

Paixão é patologia do amor!

;*

~ Congratulations, Sônia!^^
Escreves muitíssimo bem!

Suzana Z. disse...

"...sensação de estar apaixonada, mas não se sabe pelo que..."

Realmente, a maior paixão é a nossa vida... as coisas simples que a tornam bela dia a dia!

Bjo flor!

Lia Honorato disse...

Que lindoooo!